FUNPAJ – Fundação Padre José Koopmans - GRAVE VIOLAÇÃO DE DIREITOS INDÍGENAS – AÇÃO VIOLENTA DA PF/PM DA BAHIA
Publicado em 20/01/2016 ás 09:34h por João Luiz Monti

GRAVE VIOLAÇÃO DE DIREITOS INDÍGENAS – AÇÃO VIOLENTA DA PF/PM DA BAHIA

Nesta manhã de terça-feira (19/01/16), a Aldeia Kaí, localizada no Território Pataxó Kaí-Pequi, foi invadida por mais de 100 policiais federais numa operação de reintegração de posse impetrada por fazendeiros e pousadeiros*.

*Fonte: Página Pataxó. Notícia replicada.

Nesta manhã de terça-feira (19/01/16), a Aldeia Kaí, localizada no Território Pataxó Kaí-Pequi, foi invadida por mais de 100 policiais federais numa operação de reintegração de posse impetrada por fazendeiros e pousadeiros que tem suas propriedades sobrepostas ao território Pataxó. Segundo informações do local, a operação também está ocorrendo na Aldeia Pequi. Segundo a professora Maria Geovanda Batista, coordenadora da Licenciatura Intercultural Indígena – LICEEI – UNEB, a estrada está fechada e ninguém pode passar e ter acesso ao que está acontecendo.Vale lembrar que estamos em plena fase de identificação, delimitação e demarcação do Território Comexatibá, tratando-se essa operação de um descumprimento dos trâmites em âmbito jurídico e um grave atentado aos direitos humanos dos povos indígenas.Segue o relato publicado pela Pataxó Eriadxurick Braz:

venho comunica-los amigos parentes a barbaridade qui estão fazendo com agente aqui na aldeia kai municipio de prado .nesta manha de terça -feira 11 carros de policias chegaram na aldeia se qui niguem esperavam ,com patrolhas derrubando tudo ate mesmo ñ teve ne educaçao de pedir para o pessoal retirar seus bens .é uma barbaridade crianças chorando vendo tudo aquilo acontecer maes se poder fazer nada …

Em plena temporada de veraneio, ação violenta, polêmica e contraditória de "despejo", usa truculência: a ação poderá ainda causar o desprestígio da cidade no cenário nacional por desrespeito aos direitos humanos.

Em plena temporada de veraneio, ação violenta, polêmica e contraditória de “despejo”, usa truculência: a ação poderá ainda causar o desprestígio da cidade no cenário nacional por desrespeito aos direitos humanos.

Contrariando os trâmites legais no processo de identificação, delimitação e demarcação do Território Comexatibá, do Povo Pataxó, e de forma truculenta, violando direitos humanos dos indígenas, a Polícia Federal entrou, na presente data (19/01/16), em duas Aldeias do distrito de Cumuruxatiba, município de Prado, Bahia. Recebemos informações recentes de que as estradas de acesso às Aldeias foram bloqueadas, as pessoas se encontram soladas, e suas casas estão sendo destruídas sem nem ao menos terem tempo de retirar sua mobília. Também foi informado que o cumprimento do mandado de reintegração de posse é para todas as aldeias, ou seja, as inco aldeias do referido Território serão destruídas. Cabe ressaltar que o Ministério Público já se posicionou contra esta reintegração de posse uma vez que é arbitrária e desconsidera o recente reconhecimento da região como território indígena mediante laudo antropológico da Funai.

 

Denúncia extraída da página da comunidade Pataxó em rede social.

Fontes: Rede Social Pataxó e disponível também em
https://www.oximity.com/article/Trucul%C3%AAncia-da-Pol%C3%ADcia-Feder-1

VEJA NOTÍCIAS RELACIONADAS:

POUSADEIROS:
http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/08/1665359-pataxos-sao-donos-de-area-na-bahia-onde-ha-pousadas-de-luxo-diz-funai.shtml

NOTA DA UFBA:
https://www.ufba.br/noticias/manifesta%C3%A7%C3%A3o-da-ufba-terra-ind%C3%ADgena-comexatiba

NOTA DA ANAÍ 2015:
http://www.funpaj.org.br/wp-admin/post.php?post=2187&action=edit&message=6

[ Todo conteúdo da FUNPAJ pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, a FUNPAJ e, se for o caso, a fonte primária da informação. ]

0 Comentários

Deixe o seu comentário!